quinta-feira, 8 de agosto de 2013

na estante.

"Vou guardar tuas cores... Vou te guardar comigo... Teu sorriso eu vou deixar na estante pra eu ter um dia melhor..."

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

nada bem

A vida me prega peças o tempo inteiro, acho que as vezes sou escolhida a dedo pra que as coisas sempre sejam ruins pro meu lado (sei que estou sendo injusta, mas hoje me sinto assim).

Ao contrário, a minha vida não anda corrida e nem muito menos boa, mas temos algo em comum, eu sinto saudades desde o dia que eu conheci. Desde quando depois do primeiro beijo ele foi embora.
Queria poder falar isso, explicar e ter a certeza que a vida vai nos colocar juntos de novo.
E não, você não morre, a cada dia a saudade te mantem viva, esperando que ele retorne e que você possa abraçar e beijá-lo novamente, não se assuste e acredite no que digo.

As vezes a vontade é de sumir de uma vez, pra bem longe.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O movimento da Vida.

Que 2013 seja bom, seja amigo, seja paciente, seja rápido, seja decidido, seja cuidadoso, seja carinhoso, seja seguro, seja menos medroso, seja franco, seja forte, seja parceiro, seja feliz, seja saudável, seja voraz, seja Deus, seja nosso, seja paz, seja principalmente amoroso. Que em 2013 eu sinta saudade, mas com certeza de que ela mesmo sendo saudade é boa, que em 2013 também sintam saudades de mim. 

Feliz ano novo!


"Eu não sei se a vida é que vai rápida demais ou se sou eu que estou mais lento.
Não é fácil. É sabedoria que requer aprendizado! Eu quero aprender.
O descompasso é a causa de todo cansaço. O corpo é rápido, mas o coração não. O corpo anda no compasso da agenda. O coração anda é no compasso do amor miúdo. O corpo sobrevive de andares largos. O coração sobrevive de pequenos passos e de demoras. Eu já fui e voltei a inúmeros lugares e o coração nem saiu do lugar.
O mistério é saber reconciliar as partes. Conciliar um ritmo que seja bom para os dois.
Eu quero aprender. Não quero o martírio antes da hora. Quero é o direito de saborear o tempo como se fosse um menino que perdeu a pressa. O show? Ah, deixa pra depois. A voz não morrerá. Acendemos as luzes noutra hora. 
Há momentos em que a luz miúda nos revela muito mais que mil holofotes.
Chega de vida complicada. Eu preciso é de simplicidade! " (Padre Fábio de Melo)