quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

às vezes

a vida me engole!
Impossível enquadrar o que lateja,
o que arde,
o que grita dentro de mim. Ser, as vezes, SANGRA.
Ele disse: não chore que chorar enfraquece.
Eu disse: mas às vezes é como a chuva que se precisa quando tem estiagem demais e tudo fica MUITO SECO.

Saudade eu quero ver pra crer, saudade de te procurar, na vida tudo pode acontecer, partir e nunca mais voltar.

Nenhum comentário: