terça-feira, 31 de maio de 2011

TRADUZIR-SE


Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

2 comentários:

Cibele Martins disse...

mais é linda essa menina!
te amo flo.
p.s: charlie brown tem uma certa razão.. :)

Ana Maria Vasconcelos Bezerra disse...

Estive aqui visitando seu cantnho e adorei! Sucesso pra vc, Lindona!